sexta-feira, 13 de junho de 2014

A paz só depende de cada um; saiba como alcançá-la



 Vivemos em um momento planetário em que a necessidade de encontrar um refúgio de paz está cada vez mais forte e presente. No entanto, muitas vezes não percebemos que a paz deve partir de dentro para fora, de nossos corações para o ambiente que vivemos em nosso dia a dia. Mas, de fato, quantos de nós têm consciência disso? Ou pelo menos quantos de nós lutam para conseguir o sucesso no controle de emoções mais complicadas?

Todo plano de paz, seja ele interno ou externo, deve estar aliado à consciência de sua real necessidade. Sem essa consciência certamente ele não terá sucesso. Para que essa consciência seja desenvolvida, é preciso compreender alguns fundamentos essenciais. Primeiro, que a vida está presente em todas as partes e o carinho e o respeito por ela deve ser desenvolvido.

Segundo, que existe apenas uma vida, apesar da diversidade dentro dessa indivisível Unidade - ela é a única que temos. Terceiro, que toda vida se dirige a um objetivo, qualquer que seja a forma em que a vida possa se manifestar, e seja esse objetivo consciente ou não.

Quarto, que todos nascemos de uma mesma Energia e, por isso, toda manifestação de vida está pautada nessa verdade: somos todos pertencentes a uma única e grande família, a uma fraternidade. No entanto, como quinto fundamento, encontramos o desenvolvimento de nossa individualidade, que existe apesar de pertencemos a uma unidade.

A consciência desses cinco fundamentos faz com que todo processo direcionado à criação e manutenção da paz seja possível. Por isso há a necessidade de refletir sobre esses eles.

Podemos começar a desenvolver a paz em um plano individual. Para isso, devemos desenvolver internamente a reverência, o companheirismo e a compaixão. Somente dessa maneira poderemos construir em nossos corações um templo da paz. Não existe paz coletiva sem a consciência da necessidade de construir um templo individual e familiar de paz.

De nada adiantam movimentos em nome da paz, se nem ao menos conseguimos nos relacionar pacificamente com nossos pais, maridos, mulheres, filhos, amigos ou vizinhos. A reverência está relacionada à deferência, o respeito à vida e a tudo o que for vivo, o companheirismo ao convívio amoroso e preocupação com o bem estar do outro. E a cordialidade e compaixão à preocupação sincera pelo bem estar emocional de todos.

Pare para refletir e se perceba qual ponto desse triângulo ainda é deficiente em você e se proponha a desenvolvê-lo.

Eunice Ferrari
 Meus amigos(as) desejo a todos um ótimo Dia.
Muita Paz para todos.
Força Sempre
Claudio Pacheco

Um comentário:

  1. Boa tarde, Claudio!
    Suas postagens realmente me chamam muito a atenção. São muito boas mesmo!
    Completando o que você escreveu, a verdadeira paz não começa
    de fora para dentro, ela flui de dentro para fora. Se nós não estivermos
    em paz com nós mesmos, como estaremos em paz com as pessoas
    que nos rodeiam e, consequentemente com o resto do mundo?
    Temos que ter consciência disso, se não, de nada vai adiantar
    a gente simplesmente querer paz.
    Fique com Deus e até mais!

    ResponderExcluir