sábado, 13 de outubro de 2012

MSG: Circunstâncias

Cada escolha é uma assinatura. Cada escolha diz ao mundo, e a você, quem é realmente você e quem você deseja ser. Todos nós mudamos o tempo todo e, portanto, se você não gosta de quem é, pode escolher mudar. Pequenas mudanças, no curso do tempo, provocam resultados muito diferentes. Você pode mudar sua “assinatura de vida” quando bem entender.

Um problema comum, quando uma pessoa analisa a vida, é imaginar que tudo é esquerda ou direita, preto ou branco, para frente ou para trás, para cima ou para baixo. As pessoas tendem a pensar de maneira bipolar. Ou estou feliz ou estou deprimido; ou sou rico, ou sou pobre; ou o dia está ótimo, ou está péssimo; ou a viagem foi excelente ou foi um desastre.

Crianças pensam assim, mas crianças não têm registros de exceções em seu repertório de vida — traduzindo, elas pensam de modo bipolar porque ainda não tiveram experiências intermediárias – aquelas que nem são certas, nem são erradas. Por isso crianças acham que o mundo é simples, o que seria verdadeiro se o mundo fosse uma questão de escolher entre um caminho ótimo e outro péssimo. Na maioria das vezes, os caminhos são muito parecidos. Temos que nos afastar, tentando olhar o conjunto, para entender qual caminho é o melhor.

Pensamento bipolar é para insetos, criaturas muito importantes para o ecossistema mas completamente mecânicas. Não passam de sofisticados robôs biológicos básicos. Você não é um inseto. Por isso, pode se dar ao luxo de pensar de modo muito mais amplo. Pode escolher diferente.

Quando todos acham que só existe o preto ou o branco, seja do contra: procure os tons de cinza. Quando todos querem um sim ou não, seja do contra: pense no talvez. Quando todos dizem que foi um fracasso, seja do contra: mostre que foi parte da experiência; quando todos apontam um culpado, seja do contra: peça para rever todos os dados. Quando todos defendem uma verdade, seja do contra: mostre que algumas verdades são fabricações sociais. Ser do contra, não significa ser arrogante, mas mostrar que você não está preso aos paradigmas, as crenças que muitas pessoas seguem cegamente.

Procurar outras opções, diferentes das primeiras que surgem, mostra que seu cérebro, aquela massa de pão com meio quilo, dentro da sua cabeça, não está lá para decorar seu corpo. Procurar opções e fazer escolhas significativas, mostra que você está usando sua inteligência. Mesmo que as circunstâncias sejam péssimas, você não é mais produto de uma máquina chamada “circunstâncias”. Você pode escolher.

E quando tudo der errado (e um dia, a despeito de seus esforços, tudo dará errado) as circunstâncias não terão mais poder para “fazer” você, mas sim para revelar você. Para revelar sua força, sua inteligência, sua capacidade de adaptação, sua coragem interior e sua fé nos princípios naturais que movem o Universo.

Pessoas que não questionam, tendem a achar que não podem escolher. Você pode escolher. Você deve escolher. Porque se você não escolher, alguém escolherá por você.

Você é livre para escolher, mesmo que sejam escolhas indetectáveis por quem observa de perto seus movimentos. Quem escolhe se torna criador das circunstâncias, ao invés de um produto delas. Como diz Ralph Marston: “As circunstâncias não fazem você. Elas revelam você.” Por isso, deixe que elas revelem o que você tem de melhor.

Somos, em parte, produto daquilo que vimos, aprendemos, sentimos e pensamos. Por isso, as circunstâncias fazem as crianças. Mas, se você não é mais criança, é você quem faz as circunstâncias. Saiba disso, ou não.

Aldo Novak
 Meus amigos(as) a todos um otimo Dia de muita Paz
Força Sempre
Abraços
Claudio Pacheco


Nenhum comentário:

Postar um comentário