segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

O coração tem razões que a própria razão desconhece

Viver apaixonadamente... Sonhos sem fim. Momentos únicos que ficam na memória para sempre. Acontece num piscar de olhos, um sorriso mais carinhoso, uma voz mais profunda, um olhar mais ardente. A eletricidade sempre presente. Ela chega sem explicação. São como as ondas do mar: varrendo tudo que encontram pelo caminho...
Troca de olhares, sem necessidade de palavras. O sentimento fica no ar. Vale a pena curtir uma paixão sem pensar no amanhã? Quem se encantou primeiro? Como controlar se o coração parece que vai saltar da boca? O coração tem razões que a própria razão desconhece...
E se um ou mesmo os dois são comprometidos com outras pessoas? Neste caso, a relação antiga já terminou. Não se fica numa relação por pena ou medo do novo! Acomodação mata em vida! Cada um possui uma estrada única a percorrer.
Dependência da decisão de outras pessoas só empata nossa vida! Um dos motivos do relacionamento não dar certo é quando um buscou seu caminho e outro só enrolou e ficou na mesma: anulou-se como pessoa. O autoconhecimento pode vir com amor ou pela dor. Temos livre arbítrio. Cresça como pessoa. Dê a chance de uma virada de cento e oitenta graus!
E se a paixão não dá certo? Valeu do mesmo jeito, é preferível uma vida curta e intensa a mil anos vegetando... E quem prefere a estabilidade de um relacionamento tipo feijão e arroz a viver de um novo amor sem garantias? A desculpa é que a família deve permanecer unida, por causa dos filhos, pelo que já investiu, pelo que já construiu... A frustração cresce e toma conta do emocional. Escolha viver! Ame muito!
O amor liberta e o ódio une. As pessoas são livres... Ficar amarrada a um relacionamento vazio é estimulante? As decisões devem ser pensadas com profundidade e não tomadas por impulso, num instante de loucura passageira. Às vezes, é fogo de palha, coisa de momento. Se existe alguma carência e a pessoa fica vulnerável é que falta algo no relacionamento...
O primeiro amor é lindo... Tudo flutua e o corpo fica livre, leve e solto! Nada é mais importante que o amor! Enfrentamos tudo e todos. Temos a coragem e a juventude a nosso favor. Construímos a nossa realidade. Colocamos nossos sentimentos acima de tudo. Não deixamos nada nos reprimir, nem nos derrotar! A vida é cor-de-rosa...
A idade segue a mente: somos jovens se aceitamos mudanças, reciclamos os pensamentos, ficamos na ativa. Somos cem por cento responsáveis pela nossa vida, não deixe a decisão na mão dos outros! Pessoas muito rígidas e perfeccionistas deixam de curtir os momentos intensos de uma grande paixão, por não deixar acontecer, por se reprimir... aproveite as oportunidades da Lei da Sincronicidade...
Os homens são mais resistentes a "chutar o pau da barraca", por causa da criação machista. Ele é o provedor, responsável pela família, tem obrigações para com a sociedade, o meio onde interage. "O que vão dizer se eu me separar; profissionalmente terei conseqüências"? E se não der certo? Viver sofrendo assim com a paixão incubada é muito triste. Esperando para ver se passa... Você fica com um pé em cada barco, não aproveita nem aqui e nem lá... Resolva, não fique tapando o sol com a peneira. Assuma a sua vida!
Se estamos apaixonados por alguém que não sabe da nossa existência? Ou que não quer nada com nada? Esqueça! Parece fácil falar, mas não vale a pena... Só faz perder tempo. Os sentimentos fluem espontaneamente, se não ocorreu a faísca de um dos lados, parta para outra! E se rolou e um dos dois não quer mais saber? Também esqueça! Quer dizer que o sentimento não foi forte o suficiente para segurar o relacionamento. Abra o coração para deixar entrar novas chances de ser feliz...
O Universo é tão abundante, tão maravilhoso... Acredite que a pessoa certa vai aparecer na hora certa e no momento certo! Você merece: por ser esta pessoa autêntica e única, com suas qualidades e defeitos. Vibre esta energia de amor e atraia bons fluidos para a sua vida!
Mon Liu
Meus amigos(as) desejo a todos uma ótima Tarde  repleta de paz.
Abraços a todos
Claudio Pacheco

Nenhum comentário:

Postar um comentário