quarta-feira, 27 de junho de 2012

Nada acontece por acaso

De uma coisa podemos ter certeza:
De nada adianta querer apressar as coisas; tudo vem ao seu tempo, dentro do prazo previsto, mas a natureza humana não é muito paciente.

Temos pressa em tudo, aí acontecem os atropelos do destino, aquela situação que você mesmo provoca por pura ansiedade de não aguardar o tempo certo.

Mas alguém poderia dizer: mas qual é esse tempo certo? Bom, basta observar os sinais...
Quando alguma coisa está para acontecer ou chegar até sua vida, pequenas manifestações do cotidiano, enviarão sinais indicando o caminho certo.
Pode ser a palavra de um amigo, um texto lido (como esse), uma observação qualquer; mas com certeza, o sincronismo se encarregará de colocar você no lugar certo, na hora certa, no momento certo, diante da situação ou da pessoa certa!!!
Basta você acreditar que nada acontece por acaso!!!

Tente observar melhor o que está a sua volta.
Com certeza alguns desses sinais já estão por perto, e você nem os notou ainda.

Lembre-se que:
O universo sempre conspira a seu favor, quando você possui um objetivo claro e uma vontade de crescer...
Meus amigos(as) a todos uma otima  tarde  de muita Paz
Força Sempre
Abraços
Claudio Pacheco

2 comentários:

  1. Ola´Claudio, obrigada por seu artigo. Você tem razão, queremos tudo e agora. Nos angustiamos quando não vem e nos desesperamos quando vem pela metade. A grande valor que damos ao urgente naõ nos permite ver os sinais. E a criança a muito esquecida no passado não tem a menos chance diante da lógica e certeza do adulto impaciente. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade não temos paciência de espera, a única coisa q posso de afirma e quando a gente foca em algo q realmente a gente que, vc ñ tem q se preocupa o universo esta trabalhando em prol disso, mais ai passa uma semana sua vida ñ mudou, vc começa se auto questiona pq? Então e ai q acontece a magica contra vc, aquilo q vc queria tanto fica mais distante, pq o universo trabalha como vc pensa, então vc volta a estaca Zero.
      Abraços
      Claudio Pacheco

      Excluir